“Um lugar de aceitação e muito companheirismo”#pridemonth

Em outubro de 2016 entrei na UFCG, com um pouco de medo do curso, porém confiante. Em 2017 conheci o Ramo Estudantil IEEE UFCG e comecei a ser membro ativo do grupo. Durante esse ano, conheci muitas pessoas e tirei muitas dúvidas sobre a pessoa que eu queria me tornar. No ano de 2018 eu entrei na diretoria do Capítulo Estudantil PES, como secretário, e percebi que o IEEE era um lugar de aceitação e de muito companheirismo. Então, com ajuda dessas pessoas, percebi que poderia ser eu mesmo frente a um curso de graduação que, de certa forma, é excludente com grupos minoritários.
Lembro-me de, algumas vezes, sofrer preconceito por ser quem sou e das pessoas não confiarem 100% em mim por eu ser gay. Mas, meus amigos do Ramo me ajudaram a mostrar que eu sou o melhor de mim e que a minha orientação sexual não me torna inferior a ninguém.
Hoje, 2019, sou presidente do Capitulo Estudantil PES numa área que é predominantemente machista e sou respeitado do jeito que sou, graça ao Ramo e às pessoas que acreditam e reconhecem meus esforços.